1 comentário:
De Ana... a 8 de Dezembro de 2013 às 14:34

As tuas águas são caminho de vida
Viveiros de amor e refúgio do céu
Banho das raízes escolhidas pelo destino
Na esperança de semear prazer nos campos
Onde as ervas serão mestres e os ventos soarão a Mozart
E nas margens do teu rio as flores libertarão pólen de beijos viciantes

Comentar post