Sábado, 3 de Maio de 2008

e t e r n a m e n t e !

regressarei, talvez, mais intensamente

a esse lugar de luz que me fascina...

procuras revelar segredos

em meu corpo diáfano

prazeres que não cessam

possuído que estou por todo o teu desejo

quero ser fêmea e afogar teu beijo

num doce entardecer

em minha boca ardente

quero amar-te para sempre

e t e r n a m e n t e !

publicado por Latitudes às 06:25
link do post | comentar | favorito
5 comentários:
De s.a. a 3 de Maio de 2008 às 21:46
Uma melodia
(viagem indescritível...)
Começa e meus olhos fecho...
Em ti, estou,
Saboreio cada pedaço
Desse teu corpo quente
Num desejo por ti despertado!
Descobres, reavivas,
O meu desconhecido
Percorres-me toda!
Transpiro-te!!
Perdidos...
Neste amor, nesta paixão
Em que o tempo se esquece
E tudo é eterno

...Sem palavras, Poeta!... Deixo-te um textinho meu, apenas...
Um Abraço... Eterno...
De Ceu a 4 de Maio de 2008 às 13:48
Eternamente bela a tua poesia poeta...continua com esse optimismo, vencerás!!!Um eterno abraço
De Lampejos a 4 de Maio de 2008 às 22:25
Poeta,

Inevitável.

Minha boca se curva em um dos teus sorrisos preciosos quase sérios. A tua poesia,...Poeta!

Nossos sorrisos encontram-se sempre...pelas esquinas o tempo todo.
No doce suave encanto...da beleza das tuas palavras!

(a)braços e flores :)
De gabriela rocha martins a 6 de Maio de 2008 às 22:20
a finitude traduz.se num beijo eterno

quando o poema se faz

luz


.
um beijo
De Carol Barcellos a 20 de Julho de 2008 às 22:25
Ser fêmea? Uau, isso foi ousadamente criativo! Maravilhoso o poema. Dei uma lida em outros poemas, e gostei da intensidade que encontrei por aqui. Para mim, a intensidade é um dos requisitos necessários para a boa poesia!

Beijinhos doces cristalizados!!! ;o)

Comentar post

.João Ramos


. ver perfil

. seguir perfil

. 5 seguidores

.pesquisar

porque a riqueza está
na diversidade...
não à uniformização...
"as imagens possíveis.../ neste lugar ao sul no meu/ interior nordeste/ uma viagem à minha / geografia interior/ lugar onde sou e que sou, sempre!.../ ainda que em Latitudes ausentes/ buscando uma longitude constante” Mário João Page copy protected against web site content infringement by Copyscape


.... com a ferramenta possível... possivelmente o melhor de mim

.arquivos

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.links

.Carmen Ayerra

fiquei deslumbrado com esta pequena bruxinha... mágica poesia que se lança como um feitiço aos olhares mais desencantados...
fado português... fado meu... vida minha...
RSS