4 comentários:
De s.a. a 28 de Março de 2008 às 22:34
esse amor inteiro... em mim vive...
numa bruma... só por nós conhecida... deixará de ser proibido?...
...dá-me a tua mão...
O meu Abraço te dou...
Beijo...
De gabriela rocha martins a 29 de Março de 2008 às 23:41
a necessidade absoluta
de aqui beber

POESIA

de ir e voltar

e reencontrar
o entardecer
do poema
inscrito
em tuas
palavras


absoluta
mente

acaricio
o teu
acto
de criar
beleza

assim


.
um beijo ,João

De Azulejo de Veludo a 31 de Março de 2008 às 02:58
........

Deixo-te poeta uma caixa com flores vermelhas e brancas, doçura e paixão para que em cada uma delas sintas o chamado de tua amada.

O meu comentário desobedece à razão para garantir sentido.

Abraços, Mário.

De gabriela rocha martins a 3 de Abril de 2008 às 17:13
poeta da terra molhada
fértil de gravidezes anunciadas
em escrita

releio.te

e parto saudosa
do regresso


.
um beijo

Comentar post