Quinta-feira, 7 de Fevereiro de 2008

floração primaveril...

vai-se enchendo a maré

essa nossa praia!

eu, aqui, mesmo ao pé…

observando o pôr-do-sol

adormecendo o horizonte onde te deitas

também à minha espera…

 

não é quimera…

é palpável a tua pele.

como esta areia onde te toco

com a ternura de um olhar

 

tornou-se, a ligação, mais forte

porque te prolongas nos meus sonhos;

porque alimentas a minha vontade de ser feliz;

porque humedeces esse desejo;

porque hidratas a secura que venho sentindo;

porque me renovas também…

nas palavras que te vou dedicando;

nas flores e nos sorrisos que vão alegrando o meu jardim

que vive despido

que vive , como deserto, uma aridez imposta e consentida…

 

o teu amor?   sim!... :

uma floração primaveril neste verão tão distante

uma paixão extemporânea neste envelhecer achando

que o Outono nos trará  o amor…

da nossa vida!

publicado por Latitudes às 13:41
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De Um outro lugar para sonhar a 8 de Fevereiro de 2008 às 23:26
Mário,

Hummm, fascinante esta “floração primaveril!”


Gosto dessa vontade que tens de me levar a passear para lamber o teu céu intenso de palavras.

O universo inteiro compreenderá como é bom arder, fugir, com o milagre da tua mão outonal!

Por isso neste momento eu só sei mirar teus olhos, sorrir e sentir o cheiro de fragrância aprazível e amável....


(a)braços poeta
De s.a. a 11 de Abril de 2008 às 21:10
"como esta areia onde te toco
com a ternura de um olhar"... a tua sensibilidade comove!...
Abraço...
De Nanda a 13 de Janeiro de 2009 às 12:36
Não há palavras que descrevam tanta beleza e sensibilidade...
Parabéns Poeta
Abraço

Comentar post

.João Ramos


. ver perfil

. seguir perfil

. 5 seguidores

.pesquisar

porque a riqueza está
na diversidade...
não à uniformização...
"as imagens possíveis.../ neste lugar ao sul no meu/ interior nordeste/ uma viagem à minha / geografia interior/ lugar onde sou e que sou, sempre!.../ ainda que em Latitudes ausentes/ buscando uma longitude constante” Mário João Page copy protected against web site content infringement by Copyscape


.... com a ferramenta possível... possivelmente o melhor de mim

.arquivos

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.links

.Carmen Ayerra

fiquei deslumbrado com esta pequena bruxinha... mágica poesia que se lança como um feitiço aos olhares mais desencantados...
fado português... fado meu... vida minha...
RSS