Sábado, 31 de Janeiro de 2009

coração tatuado...

 

por Luís Nóbrega

um coração tatuado de ausências tem uma multidão lá dentro.

e reconhece, cara a cara, cada rosto estigmata, cada marca da dor e da alegria, não do tempo, o tempo não nos faz, vai-se fazendo...
bem sabes disso, tu que lutas contra portas macambúzias, que te obrigam a caminhar em desertos desorientados de silêncio, que,
num barco inseguro, tantas vezes oprimido por margens empedradas,
vais acostando nos embarcadouros precários da ilusão, mas ainda acreditas nos "pássaros que trazemos dentro", que mesmo ausentes anunciam a Primavera, prometem poisar nos vazios que estão lá dentro, à espera.
vais descobrindo coragem no arrulhar matutino da continuidade,
no sorriso do teu rio que salta solto em todo recanto livre,
tem raízes nesse encanto a que chamas liberdade,
e a tua palavra pulsa ritmada por uma força verdadeira,
a tua voz fraterna sempre inteira.



uma multidão de ausentes é um coração com muita gente, e que o teu vazio também possa preencher alguém.
ou:
se aquele que está ausente
ficou no coração de alguém
esse vazio na gente
ocupa um lugar também.



parabéns poeta amigo
um grande abraço

publicado por Latitudes às 19:11
link do post | comentar | favorito
11 comentários:
De Presente, na ausência a 31 de Janeiro de 2009 às 20:59
Abraço, ao Poeta Amigo!

Eterno Abraço!...

De Nanda a 31 de Janeiro de 2009 às 22:00
Belas estas palavras para um grande Homem, um grande Poeta...
Parabens Mário João
Abraços e beijos
De manuela a 1 de Fevereiro de 2009 às 09:49
Como é bom João, chegar aqui ao teu blogue logo pela manhã, ouvir esta musica de fundo, com as palavras de painel. Sempre que aqui venho acentuo a ideia de que és um grande querido e de que eu prezo muito a tua amizade. Parabéns por seres assim especial. Tem um Excelente Domingo. Com muita chuva mas aguenta-se bem. Um dia destes telefono. Um Abraço.
De Céu a 1 de Fevereiro de 2009 às 17:40
Apesar da tua simplicidade e humildade, há um grande talento dentro de ti. Um vazio, que preenche cada um de nós. Quem te conhece sabe disso, por isso este grande testemunho.
Bjs e abraços poeta de sonhos...
De Lampejos a 1 de Fevereiro de 2009 às 19:05
...

Existem ausências que são eternas...
lembranças intensas,tristes,de gloria..
...tatuadas, clavadas na memória.
O relógio e o tempo amargam os espaços vazios.
Ausência=solidão que usurpa todo o resto que possa ter sido vida.

Encaixados na memória sem chave sucumbimos...


[cada um com sua visão. Cada um com sua interpretação.]

Bom passear por teu blog... Poeta... , ainda que carregado de ausências... busca a tua beleza.

[obrigada]

(a)braços,flores,girassóis:)
De Branca a 1 de Fevereiro de 2009 às 23:29
Gostei daqui...

Voltarei!

Ótima semana pra vc,
bjos.
De gabriela rocha martins a 2 de Fevereiro de 2009 às 01:14
irremediavelmente belo o teu poema



.
um beijo
De Nanda a 3 de Fevereiro de 2009 às 09:32
Ñão há melhor maneira de começar um dia que deixar-nos levar por estas lindas latitudes...
Obrigada Poeta, por nos dares este previlégio...

Abraço amigo
De secretosegredo a 4 de Fevereiro de 2009 às 12:37
Tatuei meu coração e não me arrependi.
De gabriela rocha martins a 5 de Fevereiro de 2009 às 13:04
perdido no tempo ou nas palavras?


.
um beijo

Comentar post

.João Ramos

.pesquisar

porque a riqueza está
na diversidade...
não à uniformização...
"as imagens possíveis.../ neste lugar ao sul no meu/ interior nordeste/ uma viagem à minha / geografia interior/ lugar onde sou e que sou, sempre!.../ ainda que em Latitudes ausentes/ buscando uma longitude constante” Mário João Page copy protected against web site content infringement by Copyscape


com a ferramenta possível... possivelmente o melhor de mim

.arquivos

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.links

oferecido por...(clica no selo)

.Carmen Ayerra

fiquei deslumbrado com esta pequena bruxinha... mágica poesia que se lança como um feitiço aos olhares mais desencantados...
fado português... fado meu... vida minha...
RSS