Sábado, 22 de Dezembro de 2007

Natais de Inverno...

a cada Natal que passa

cresce a importância do Inverno.

devolve-nos um amigo e faz de nós

amigos de todas as estações.

esvanecem-se as imagens

das raízes e dos ramos já perdidos...

dos amigos!

 

a música desses dias, os sons distantes

que nos aproximam mais e mais a cada ano

reflectem-se recalcando na memória

os presentes e ausentes que eu amo

publicado por Latitudes às 00:24
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De M.C a 22 de Dezembro de 2007 às 16:23
Mário,
Você catar as palavras para teus poemas com o cuidado de quem arranja um origami nos cabelos da mulher indesdobrável.

Por isso te desejo ( zilhões) de plena felicidade, sincera amizade, amor e paz na maioria dos teus dias da tua vida!Pois nós (dois) sabemos que na (maioria das vezes) é impossível, mas quando elas chegarem possamos valorizar esses belos momentos.
A norma que exige nosso caminhar não é a perfeição sem dúvida nenhuma, e alguns de nós já enfrentaram situações difíceis na alma e no corpo, mas apesar da tempestade, temos sempre coragem de seguir lutando. Haverá sempre um outro amanhecer e quando amanhecer depois de tantas noites sem estrelas, o sabor da vitória será ainda mais doce.

Somos folhas do mesmo vento, da mesma sílaba lembra?

!!!!FELIZ NATAL MEU POETA!!!!

De aDesenhar a 24 de Dezembro de 2007 às 01:42
amigo João

o seu a seu dono
as palavras aos poetas
porque as minhas
são simples na forma
e no conteúdo...

Boas festas

amigo João

nota:vai um café amanhã(?!)
De migalhas a 26 de Dezembro de 2007 às 15:40
A escrever de volta para agradecer as palavras q são, todas elas, de esperança para uma época q já pouco retém da sua real essência. Ainda assim, votos de muitas Natais na companhia desses q mais nos fazem gostar de andar por cá. E q o 2008 traga o q de melhor se poderá dele pedir.

Comentar post

.João Ramos


. ver perfil

. seguir perfil

. 4 seguidores

.pesquisar

porque a riqueza está
na diversidade...
não à uniformização...
"as imagens possíveis.../ neste lugar ao sul no meu/ interior nordeste/ uma viagem à minha / geografia interior/ lugar onde sou e que sou, sempre!.../ ainda que em Latitudes ausentes/ buscando uma longitude constante” Mário João Page copy protected against web site content infringement by Copyscape


com a ferramenta possível... possivelmente o melhor de mim

.arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.links

oferecido por...(clica no selo)

.Carmen Ayerra

fiquei deslumbrado com esta pequena bruxinha... mágica poesia que se lança como um feitiço aos olhares mais desencantados...
fado português... fado meu... vida minha...
RSS